Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)

27
Mai14

mudanças

por Lazy Cat

Parece até que a minha vida não é feita praticamente de mudança! mas desta vez é por aqui que se fazem as mudanças. Poucas, aos poucos. Este blog nasceu com um objectivo e acabou por se afastar bastante do ideia inicial, tornado-se numa espécie de diário de bordo de um relacionamento atribulado - e terminado. Mas serviu-me bem. Se catarse houve, aqui aconteceu.

 

E se não é possível receber o futuro com os braços carregados de passado, também não é possível abraçar o presente. E este presente merece abraços, merece ser mimado, vivido plenamente. A determinada altura é preciso voltra atrás e cortar pontes. E foi isso que passei cerca de duas horas a fazer hoje. Da mesma forma, é preciso resolver assuntos pendentes para poder iniciar outros. Acontece que, por vezes, eles não se conseguem resolver e então, é preciso saber aceitar que se resolverão por si só quando chegar o momento e pronto. 

 

E viver assim ao sabor do querer, sendo de repente atirada para a infância pelo cheiro que o vento do mar traz, transportada para outras noites, noutras paragens e sorrir por conhecer tão bem cada aroma desta aragem. 

 

 

O oftalmologista receitou-lhe uns óculos de ver ao longe e ele começou a ver o amanhã no hoje. O futuro a passar nas lentes. Prevendo tudo, ganhava sempre. Perguntaram-lhe como ficara de repente com tanta sorte na vida. Respondeu que o destino não batia num homem com óculos.

In Nano-contos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

29
Nov13

blogs e tal

por Lazy Cat

depois de muitas voltas, decidi manter no activo apenas este. tendo que dedicar mais tempo à minha vida profissional, e à luz de uma vontade cada vez maior de estar inteiramente presente em tudo o que faço, decidi que vários blogs pessoais são um peso que já não quero suportar. porque me sinto culpada se não os actualizo, porque me disperso e acabo por andar sempre com a cabeça ocupada sem conseguir que as mãos, ou os dedos no teclado, reflitam tudo o que me passa pela cabeça e acabando por perder oportunidades de escrever sobre assuntos/temas que gostaria de abordar apenas porque passa o momento. e o momento é tudo. por isso, chega!

 

este blog, cuja ideia original era que fosse leve, um tipo de blog onde iria escrever pouco e publicar fotos engraçadas, citações, fazer referências a artigos e outros blogs etc... e tal, tornou-se numa espécie de jornal. e ainda bem. tem sido um bom jornal de bordo e já aqui escrevi coisas que não consigo reler sem me emocionar. outras de que me orgulho. nada de que me arrependa. 

 

pensei seriamente em fechá-lo. mas gosto deste blog. da simplicidade com que tudo acontece no sapo, sinto-me aqui em casa há muito tempo. e não faz mal nenhum dar uma grande volta à casa de vez em quando! faz bem à casa e à alma. e assim sendo, este fica. vou morrer de saudades do Dário de uma Paixão que o Amor não deixa morrer mas, se por um lado tento viver com cada vez menos coisas, por outro percebi que, um diário em papel tem várias vantagens, neste momento, para mim.  a maior de todas sendo que posso fazer o resumo do meu dia sem recurso a tecnologias e assim manter-me efectivamente afastada (salvo as excepções que forem necessárias) de computadores, tablets e smartphones a partir das 22h30. e é sempre bom percebermos que fizemos a opção certa! 

 

isto quer também dizer que voltarei a ler mais os blogs de que gosto! sinto saudades disso, sinto como se tivesse estado metida num casulo durante vários meses e finalmente o tivesse furado, voltando a fazer parte do maravilhos mundo colorido! e só enquanto escrevo sito é que tenho noção do quanto tem sido mesmo assim! de como tenho estado longe, afastada, metida em mim, de costas viradas ao mundo.

 

já era tempo de voltar a viver, sem dúvida! 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)



Visitas




"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving