Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)

03
Set13

sempre achei que há idades para tudo! adoro o meu cabelo mas...confesso, já estava demasiado comprido. se isso me incomoda? há poucas coisas de que eu goste mais do que de sentir o cabelo a "varrer-me" as costas helás... tenho esta mania ou chamem-lhe o que quiserem, de achar que à medida que o tempo passa, algumas coisas deixam de fazer sentido. não consigo conceber que mãe e filha por exemplo, tenham um corte de cabelo idêntico se afinal pertencem a gerações diferentes! como também ainda não percebi esta coisa de, em Portugal, não se conseguir distinguir uma loja de roupa para adolescentes/jovens adultos de uma loja de roupa para "mulheres".  ;-)  

 

francamente, se aos 40 anos tiver que comprar o mesmo tipo (entenda-se qualidade) de roupa que comprava aos 20, com uma mesada mais ou menos pequena...algo está mal. e nem é só isso, há coisas que realmente só fazem sentido aos 20, algumas até aos 30 e depois, sinceramente, apenas expõem algumas rugas e flacidez, por mais que a pessoa esteja ou tente manter-se em forma e, isso é muito triste...o que não implica que não se possa ter estilo! mas estilo não é certamente querer vestir/pentear/viver como as miúdas de 20 aos 40. será? 

 

sempre disse que quando fizesse 40 anos cortava o cabelo. demorei uns bons meses, mas lá lhe dei um corte necessário! com isso, pasmem-se, além de ter o cabelo com um aspecto muito mais saudável, sem pontas ressequidas da tinta e do calor, rejuvenesci!!! a sério, pareço mais nova. ou pelo menos, deixei de ter aquele ar de quem "tenta prolongar uma juvenude ida"...não, não era uma coisa gritante, mas sinceramente, já era mais do que tempo de "destralhar" o meu cabelo! lá se acabam as máscaras prolongadas, os banhos de hidratação e o diabo a sete! 

 

aos 45, deixo de pintar o cabelo e corto-o relativamente curto. isto se não lhe voltar a fazer um corte "à la garçonne". veremos. mas por ora, tenho um cabelo lindo, um corte limpo e com isso sinto-me leve, linda e graciosa! boa? até porque, não tenho deixado muito por fazer.... 

 

yes, I am...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

27
Mar13

...

por Lazy Cat
não cabe num rótulo, num nome, numa caixa sequer.
quem eu sou precisa de ar, de chuva, de vento, de espaço
do deslumbre de ser apenas tanto em apenas ser.


E agora sou tudo, o eu completo todo aqui, à distância
do desejo de quem passa e quer saber de mim!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)





"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving