Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)


11
Set13

ele há filmes

por Lazy Cat

e filmes. e há também coisas muito estranhas. 

 

geralmente, uma ida ao cinema, transforma-se numa soneca desajeitada e desconfortável e a maioria das vezes prefiro ver os filmes em casa. a duração média dos filmes é, para mim, demasiado tempo passado sem fazer nada, digo fisicamente, e a imobilidade e silêncio a que o cinema obriga dá-me sono! 

 

por outro lado, há temas que, seja no cinema seja na literatura, exposições, palestras e outros de que se possam lembrar, eu evito a todo o custo. aliás, nem evito, nem é algo completamente racional, por isso digo muitas vezes que devo ter sido vítima do holocausto noutra vida, por exemplo. porque a segunda guerra mundial aflige-me. tanto assim que recusei estudar esse período sangrento da nossa história, ainda na escola, não li nem tenho curiosidade em ler o Diário de Anne Frank, coisa que parece impossível a quem acha que sou uma devoradora insaciável de livros mas devoradora mesmo, tipo monstro das bolachas, que desde que seja redondo come tudo....

 

bem, tudo isto para dizer o quê? para dizer que, numa altura em que me debruço particularmente sobre certos assuntos, acontece uma coisa muito estranha, aliás duas coisas estranhas: a primeira, é que me apetece muito ir ver um filme ao cinema. a segunda é que o filme é este: 

 

 

sei apenas com toda a certeza dizer-vos o seguinte, para o facto de eu querer muito ver este filme, contribui bastante esta imagem. o cartaz chama por mim como quem sussurra baixinho o meu nome. o que é infinitamente estranho. não é alheio ao facto de o querer ver no cinema achar que me vai tocar para lá daquilo que estou à espera e preferir não estar sozinha para o ver. por outro lado, não o quero ver com ninguém muito próximo...digam lá que eu não sou a simplicidade em pessoa!!! e pela primeira vez em muitos anos, quem sabe, até vá à ante-estreia... :-)

 

para não faltarem razões para ver o filme, encontrei este comentário, que se chama "A banalidade do Mal", que já por si tem muito por onde nos deixar a pensar e que é com prazer que partilho aqui convosco. será ou não por acaso que apenas agora percebo que hoje  é dia 11 de Setembro. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)





"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving