Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


enteléquia

17.06.13

 

 

Há verdades Universais? Há perspectivas da mesma verdade? A verdade que eu observo, aquela que vivo, aquela que sinto, está sujeita a subjectividade? Ou é, apenas, una, única, igual para todos que a observam? É apenas verdade para mim? Será verdade apenas se muitos concluírem como eu? Quantos indivíduos deverão ver, sentir e observar como eu para que a minha verdade seja uma verdade Universal? E até que ponto interessa saber se a minha verdade é Universal ou não? Afinal, se a vejo, a vivo e a sinto, para mim é verdade. Carece a minha verdade de validação externa, alheia a mim para se tornar verdade?

 

Será tudo uma questão de perspectiva, sendo que o que está à frente de quem está ao meu lado oculta uma parte do que eu vejo e lhe mostra uma realidade diferente e impede, assim, que vejamos a mesma realidade? E se sucessivamente se escondem e mostram diferentes facetas da mesma realidade consoante o ponto de vista do observador, isso invalida que a minha opinião seja real? Invalida a minha verdade? Invalida que tenha sobre determinada pessoa uma opinião, para mim, verdadeira, o facto de outra pessoa ter uma opinião diferente? Quem julga e determina o que é verdade para mim senão eu através da minha perspectiva? E se eu tenho de determinada pessoa uma opinião, formada através da observação das facetas que me foram dadas a conhecer, quem pode dizer que estou errada e como poderei eu dizer que quem discorda de mim não vê a verdade? Se afinal, “ Todo o conhecimento o é sob um determinado ponto de vista”, o meu conhecimento (ou seja a minha verdade ou a minha realidade) não deixa de ser verdadeiro, apenas porque tenho um ponto de vista único, mas passa sim a ser real, ou existir como realidade, (para mim) exactamente pelo facto de provir do meu ponto de vista único!

 

O erro inveterado consistia em supor que a realidade teria em si mesma, e independentemente do ponto de vista que se tiver sobre ela, uma fisionomia própria. Claro que, pensando assim, toda a visão a partir de um ponto determinado não coincidiria com ela e portanto seria falsa. Mas o caso é que a realidade, tal como a paisagem, tem infinitas perspectivas, todas elas igualmente verídicas e autênticas.  A única perspectiva falsa é a que pretende ser única.

 

Logo, a opinião que tenho de determinada pessoa, será tão verdadeira e válida como a de qualquer outra pessoa, concorde ela comigo ou não. O que já não é verdade é que um perfeito idiota o deixe de ser apenas porque uma perfeita idiota se recusar a aceitar esse facto como verdade! Da mesma maneira, uma opinião sobre mim será tão verdadeira quanto a perspectiva e o (real) conhecimento que a pessoa tenha de mim, para fundamentar a opinião que tem, tornando a sua verdade única para si através da perspectiva (posição, tempo e filtros) com que me observa.

 

E com isto, tenho dito e concluo.

 

 

Parcialmente baseado em “El tema de nuestro tiempo” - Ortega y Gasset

 

imagem daqui

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)

"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Curiosity killed the cat...

foto do autor


no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D