Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)

25
Set20

leviandade

por Lazy Cat

leviandade 

s. f.
1. Qualidade do que é leviano.
2. Irreflexão.
3. Falta de prudência ou de pensar.
(in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)
 

finalmente pus o dedo em cima da ferida! ou neste caso, encontrei a palavra exacta. mesmo mesmo mesmo. a palavrinha certa para aquilo de que estou, sinceramente, muito cansada. é leviandade, sim. e atenção que esta leviandade se conjuga no geral e no específico! passo a explicar: estou cansada de um modo geral da foma leve (leviana) com que as pessoas falam de pessoas e situações e de foma muito específica daquilo que fazem certas pessoas que me são mais próximas, abrindo a boca sem pensar muito (ou nada, ou pelo menos em nada de jeito) para falar de outras pessoas. bem ou mal, é indiferente, tão depressa abrem a boca para tecer elogios e chamar "amigos" a pessoas com quem falaram duas vezes como  "vomitam" horrores sobre pessoas que só cometeram o pecado capital de se meterem na prórpia vida a tempo inteiro e estar, por isso mesmo, em posição de lhes dizer, a essas pessoinhas, meia-dúzia de verdades. em posição e com disposição, porque em resposta vem sempre, tão certo como o sol nascer todos os dias, uma avalanche de perfeitos disparates destinados a arrasar o adversário. que na verdade é apenas alguém que não se deixa enrolar na onda e já não perde o pé, mas tem que ser visto como o inimigo a abater para se justificar tamanha logorreia! 
 
 
e é isto. aliás, não é só isto. irrita-me esta leviandade generalizada e sobretudo, obviamente a que me toca. mas, acima de tudo, custa-me que as pessoas que me são próximas não tenham noção de que agem de maneira tão pouco pausada, achando-se sempre certos e donos da verdade e saiam pela vida fora a dizer de mim e não só os horrores que já os ouvi dizer de outras pessoas. e que sei só serem verdade à luz daquelas cabecinhas ocas e perdidas nesta vida! Grrrrrr!!!!! pronto. desabafo terminado. ou quase...
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Set20

ele há dias

por Lazy Cat

sim, ele há dias.

dias em que me apetece dizer-te isto! e que seja perfeito sendo exactamente assim.

MAS!

helás!

if you are ready to never let me go, we are both wrong. 

 

 

preciso da liberdade de estar presa a ti, não presa por ti. preciso da prisão que é a liberdade de voar. Preciso da certeza de que me vais deixar ir sempre porque só assim e de nenhuma outra maneira saberei voltar. Livre, solta, estarei mais presa a ti do que amarrada por qualquer tipo de laço e, ligados pela linha certa, sempre estaremos mais presos ao outro do que qualquer contrato consegue. Sermos livres é estar não por correntes, mas por vontade!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Set20

...e se de repente

por Lazy Cat

um desconhecido tropeça e lhe entorna café nos sapatos? 

 

é o efeito perverso do seu maravilhoso sorriso!!! ahahah!

 

 

claro que lhe perdoei na hora ter entornado

o café e lhe dei um beijo pela resposta! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

tenho andado um bocado baralhada com isto das pedras. o que interessa é que estou a falar de prioridades e parece que ao fim de uns anos em que andei com a cabeça, ou coração vá-se-lá saber, às voltas, finalmente, aterrei. demorou bastante e não foi sem esforço. mas tenho os dois pés no chão, que é onde devem estar para a cabeça andar livre por onde lhe possa apetecer. Comecei este blog como um registo mais ou menos diário de como pretendia/se pode simplificar uma vida. a casa, as roupas, etc e mais um par de botas ou um milhão de coisas. não tenho casa para simplificar, em termos de roupas minhas e do filhote sei que posso ainda fazer bastante, mas a prioridade é arranjar emprego. casa. recomeçar. lembrar-me que a minha pedra basilar são os pés em que me apoio e a minha cabeça, em que posso confiar, porque no coração é melhor não...ainda. Mas também há-de chegar o dia. Porque como eu dizia logo ao princípio deste blog destralhar a vida não é apenas livrar-me de coisas materiais. É, e é sobretudo, livrar-me de gente, sentimentos e convicções. Algumas pessoas, em pequenas doses, podem ficar. Outras não, de todo. Foi preciso cortar de vez. os sentimentos não se varrem para debaixo do tapete e se escondem para esquecer mas, podem ser comparados com outros sentimentos (por exemplo) e então, vão perdendo peso. convicções....esta parte é complicada. há coisas que estão tão profundamente enraizadas que por vezes parecem ser parte de nós. e não são. mas descobrir que não são e que, por exemplo, quando se diz que se gosta tanto de alguém não passa de uma verdade (bonita) que construimos para camuflar factos, custa. custa tempo e não só. muitas vezes os factos são menos bonitos do que queremos e então, convencemo-nos de coisas bonitas...ou seja, fingimos que coube tudo no balde. mas não. apenas escondemos o que não cabia e, muito pior, deixámos que ficassem de fora coisas demasiado importantes. as pedras, as grandes, as pequenas e as outras, cada um lhes chama o que quer. 

 

 

  

and then, maybe after all that, someone to 

rock my world 

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Dez16

Ponto final

por Lazy Cat

Chegou o dia. Chegou a hora. 

O LazyDays tinha o destino incerto.

Assim como outros blogs que criei e alimentei, e são (também) janelas abertas a presenças do passado que devem ficar onde pertencem. Já não me incomoda a passagem recorrente dos fantasmas, mas já o fez e fê-lo tanto que acabei por deixar de escrever livremente. Não é assim que entendo fazê-lo. Quero escrever sem barreiras e para isso, uma vez que não posso fechar as janelas, porque há tanto do meu maravilhoso ser aqui, tanto de amor, de lágrimas e de sorrisos, de carinho e de raios de sol, parto, deixando aqui o registo de anos difíceis, é certo, mas ao longo dos quais aprendi tanto mas tanto! Sobre mim, sobre comportamentos, meus e de outros, sobre aquilo de que sou capaz, a força, a fibra de que sou feita, resiliência, ternura, paciência, as palavras de que me alimento e a luz que me ilumina, me traça o caminho e esta vontade, esta permanente inquietude que me faz voar mesmo sem vento...

adeus, até breve ou até sempre. 

 

=^.^=

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

27
Nov16

Habita-me

por Lazy Cat

Habita-me, faz-me casa e faz-te rio em mim. Corre-me pelas veias, alimenta os meus dias, riacho manso de prata ao luar, cascata branca, imensa, intensa, pura. Força. Terra firme que me sustém e me alicerça. Folha de Outono que me aconchega e me amortece a queda. Habita-me.

Habita-me, planta generosa e perfumada de jasmim. Enlaça-me nas tuas guias, prende-me, protege-me (de mim), insinua-te e inebria-me, rasga-me, enfeita-me e retém-me em ti. É Primavera, desaperta-me, desperta, deixa-me ir e saber voltar. Deixa-me habitar em ti. 

 

 

habitamemim.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

27
Nov16

As palavras dos outros

por Lazy Cat

As palavras dos outros são por vezes aquelas que gostaríamos de ter dito, escrito. Aquelas que, mais que tudo, quereríamos ter sabido alinhar assim e que dizem tanto e que dizem quase tudo...como eu não teria sabido. E que fazem, apenas, todo o sentido. 

 

Encontra-me
Procura-me. (e por favor) Encontra-me. Estou naquele lugar que toda a gente conhece, mas ninguém sabe onde fica. Tu sabes onde eu estou. Eu não. Habita os meus dias. Aqueles. Que acontecem totalmente em mim. Apenas por dentro. Em garfos. Sob os cascos do tropel de mil cavalos.

Olha bem para mim.

Não sejas como o espelho que se enfastia. As suas imagens têm travo a carne seca. A ideias gastas. Desilusão de vida. Língua que mordo. Portas que batem sem se abrir. Sentimentos espalhados pela rua, que a chuva leva.

Se soubesses…

Não são os dias que são sombrios. Não são os sons que são tristes. Não são as flores que murcham nem as palavras que me prendem. SOU EU! Eu é que existo a ferros. Sou todo espinhos. Peso. Noite. Em tempestade(s). Gastas.

Continua aqui

 

Obrigada FP

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Nov16

sobre o tempo, talvez

por Lazy Cat

tenho tido vontade de escrever, vislumbres de palavras que me acenam lá do fundo da cama, me fazem querer acordar mais cedo, ideias, nascidas como sempre de qualquer sopro de vento, vontades, tantas que todas ficam adormecidas comigo até à hora do levantar obrigatório...

quis escrever sobre aquilo a que nos prendemos, coisas e pessoas, sobre a falta que nos fazem a luz e o calor do sol, sobre o frio que regressa e convida a ficar em casa, enroscada com os gatos...tanta coisa para dizer sobre coisas tão importantes e só me apetece contar-vos que já escolhi todas as receitas para as bolachas de Natal que, como não sei se irei a Lisboa até lá, já encomendei à Maria o que não encontro aqui, e que este ano lá fiz marmelada com um toque de especiarias e ficou mesmo muito boa. Não ficou nada vermelhinha. Mas está bonita, muito saborosa e fica bem com todos os queijos que havia cá por casa, do mais elementar fresco ao manchego ou ao roquefort. 

 

Chove a potes, parti o meu jarro térmico que tinha há anos (tantos quantos por cá temos Ikea) e estou com dificuldade em lhe arranjar substituto. Apetece-me chá, pão de nozes com marmelada e tempo para ficar a ver a chuva pela janela.

 

IMG_5696.JPG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

16
Nov16

again...

por Lazy Cat

if you can be anything....choose to be kind... 

bekind.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Nov16

sparks, treasures, something to hold on to on days like today, and yesterday, and all the days I can't smile....old  voices, new voices...close your eyes and listen...

 

 

Lyrics: Vincent 

 

 

Lyrics: Sittin'on the dock of the bay

 

 

 

Lyrics: Te amaré

 

 

Lyrics: Quién

 

 

Lyrics: Nuit

 

 

 

 

Lyrics: Evidemment

 

 

 

Lyrics: Por um dia

 

 

Lyrics: A rima mais bonita 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)



Visitas




"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving