Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


os presentes, as prendas, os mimos

02.12.13

sempre fui muito preocupada em dar aos outros. muitas e muitas vezes, (já tenho quarenta anos, imaginem há quanto tempo isto dura!) deixando de ter para mim, para dar um presente melhor ao meu filho, porque tinha que chegar para todos. este ano, pela primeira vez, só há presente digno desse nome para os miúdos. 

 

já me dei ao trabalho de começar os presentes em Agosto, fazendo um cabaz com tudo e mais alguma coisa para os casais (irmãos e cunhados), lembranças de licores e etc para os vizinhos, compotas, chutneys, conservas mais variadas aliadas a receitas e ingredientes para bolos maravilhosos, acompanhados da respectiva receita, ela própria vinda de lugares inesperados, como uma avó austriaca ou um amigo cozinheiro italiano. 

 

tenho a certeza absoluta que metade dos presenteados não têm noção do trabalho e amor envolvidos para preparar tais coisas, tal como tenho a certeza que não tiveram metade do trabalho e perderam sequer um décimo do tempo a pensar no meu ou no nosso presente. não me estou a queixar de nada nem seria este o melhor lugar para o fazer mas...a vida colocou-me numa posição em que tenho que escolher e, com isso, fez-me olhar para certas coisas e perceber que, de facto, o que conta é a intenção. pelo menos para mim é. e se para quem recebe os meus presentes não for, olha, paciência porque já dei! já dei anos e anos de dores de cabeça a tentar arranjar o presente ideal, não dar a um irmão mais que a outro, tentar nivelar o nível de satisfação. é impossível e stressante. 

 

afinal aprendi umas coisas ao longo do último ano! eu quero lá saber se acham que dei pouco ou se acham que dei muito ou se vão reparar no que dei. o que der, seja lá o que for, será de coração e, se olharem para isso então que olhem também para as circunstâncias. ou não, tanto se me dá. 

 

este ano, apenas me preocupa um presente: o do T. não será com certeza o que ele mais deseja, até porque é um bocado complicado saber o que mais quer aquele miúdo, que não pede nem se queixa, mas será um presente que o vai fazer feliz e lhe trará certamente muitos momentos de diversão. quantos aos outros? espero que gostem do que lhes couber. 

 

e com isto, tenho dito. deixei de ser parva. à custa de muita pancadinha da vida. mas aprendi. e tudo se resume a isto: 

 

faz sempre aquilo com que te sentires confortável, as tuas dores de cabeça e stresses não acrescentam valor ao teu gesto (para os outros) e só te pesam a ti. e foi isto que aprendi. 

 

{#emotions_dlg.sol}

Autoria e outros dados (tags, etc)



sobre estados de alma e outras insignificâncias... :)

"If you are lucky enough to find a way of life that you love you have to find the courage to live it."
John Irving



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Curiosity killed the cat...

foto do autor


no thing

No luxury and no comfort, no delight and no pleasure, no new liberty and no new discovery, no praise and no flattery, which we may enjoy on our journey, will mean anything to us if we have forgotten the purpose of our travels, and the end of our labours (Isaiah Berlin)

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Gatos cuscos



Visitas